quinta-feira, 20 de julho de 2017

Polvo em salada





Refeições ligeiras não devem, nem têm que ser aborrecidas!


Nestes dias (muito) quentes que se têm feito sentir o que apetece mesmo é que a comida seja ligeira, a bebida seja fresca e que ambas nos satisfaçam. Isto, claro, sem nos acrescentar quilos! 

Afinal, queremos vestir o bikini ou fato de banho e continuar amigos da balança :D




Sábado foi um desses dias, quentes, longos, preguiçosos em que acordei com vontade de ir ao Mercado (fui ao Bolhão) apreciar as bancas e decidir, ali, o que queria almoçar. 

Depois de encher o saco com frutas e legumes foi a vez de percorrer as bancas de carne e peixe.
Perguntados os preços e analisada a frescura dos mesmos lá me decidi pelo peixe e a escolha recaiu no polvo. Era grande, rosado e vistoso! Uma alegria para os olhos, que já fazia adivinhar que também o seria para o palato.

Vim para casa, contente com as compras feitas e enquanto arrumei o que trazia nos sacos o polvo cozeu, lentamente, a vapor.

Estava decidida uma parte da refeição: a comida. E agora o que beber? (pensei eu).

O calor apertava mesmo e tinha vontade de beber algo bem geladinho, mas claro que não queria optar por uma bebida muito calórica que fosse desequilibrar a decisão de fazer uma refeição leve.

Abri o frigorífico e lá estava aquela garrafa de Lipton Chá Verde, tão  tentadora e a pedir umas folhas de hortelã e duas ou três pedras de gelo.

Acredito ter sido uma boa escolha, optar por um refrigerante saboroso e baixo em calorias.

Feitas as "contas" foi um bom sábado! ;)






Ingredientes:

(salada para 3)

  • 2 pernas de polvo - estas tinham cerca de 1Kg
  • 1 cebola roxa
  • 1 ramo de salsa
  • 100ml de azeite (ou a gosto)
  • 1 pitada de pimenta (opcional)

Preparação:

Coza o polvo (veja indicações abaixo) e deixe arrefecer um pouco. Lamine-o, fino, ligeiramente na diagonal.

Descasque a cebola, corte-a ao meio e depois em meias luas finas. Reserve.

Numa taça de vidro coloque o polvo, a cebola laminada e regue com o azeite. Polvilhe com a salsa picada e envolva levemente.

Se necessário rectifique os temperos de sal e pimenta (não usei sal, pois o polvo já tem suficiente. A pimenta optei por colocar o moinho na mesa e cada um temperou a gosto).






Sugestões de cozedura:

1 - Num tacho leve o polvo a cozer, sem água e em lume baixo entre 50 minutos a 1 hora;

2 - Cozer na panela de pressão, durante 20 minutos, a partir de que o apito comece a girar. O polvo irá cozer na própria água que vai largando.

3 - Cozer a vapor no robot de cozinha - Arranje o polvo. Deite 700 ml de água para a taça do robot, coloque o cesto de cozedura a vapor com o polvo e programe a 130ºC, durante 60 minutos.

Obs.: Este foi cozido a vapor, que é o meu método de cozedura preferido.



sexta-feira, 30 de junho de 2017

Sugestões para refeições MAGGI(cas)

MAGGI CHEF MADEIRA


A MAGGI continua à procura do maior talento culinário da ilha da Madeira.

As inscrições para o Passatempo decorreram entre os dias 7 e 25 de junho, tendo sido a adesão muito boa (não seria de esperar outro resultado, dada a riqueza gastronómica da Ilha).

Quem está muito feliz por poder provar as iguarias dos 10 semifinalistas? Eu, claro!!!

Pois é, que privilégio poder revisitar a lindíssima Pérola do Atlântico e ainda ter a oportunidade de provar os pratos locais. Adoro, adoro, adoro! (Aviso já que podia fazer disso vida) :D

 Nesta fase (semifinal) irei juntar-me ao Júri, que é composto pelos Chefs João Paulo Lima e João Carlos Sousa. A apresentação dos pratos será feita no dia 2 de julho, no magnífico Hotel Pestana Grand.

No final do dia serão escolhidos três finalistas, que posteriormente irão apresentar a sua receita num showcooking que terá lugar na Expo Madeira.

Entusiasmada que fico com estes eventos gastronómicos, ponho-me logo a imaginar imensos pratos que se podem preparar. As sugestões, abaixo, são apenas duas das dezenas de receitas que me ocorreram.

Vá, sejam felizes! E até já, Madeira ;)

 

Duo de Pescada e Camarão


Ingredientes (para 3 pessoas):

  •  1 saqueta de Puré de Batata MAGGI
  • 3 Medalhões de Pescada 
  • 6 camarões médios (usei 20/30) 
  • 1 cebola
  • 2 dentes de alho
  • azeite q.b. (para untar o fundo do tacho)
  •  1 tomate maduro
  • 1/4 de pimento vermelho 
  • 50g de queijo ralado
  • azeitonas q.b. (para decorar)

Para o molho branco:

  • 300ml de água (de cozer a pescada e o camarão)
  • 300ml de leite
  • 1 colher (de sopa) de manteiga
  • 2 colheres (de sopa) de farinha
  • 2 ovos

 

Preparação:


Num tacho, com água a ferver (temperada de sal), coza a pescada durante cerca de 10 minutos. Ao fim deste tempo junte os camarões e assim que a água levante fervura deixe cozer 2 minutos. Retire a pescada, os camarões e coe a água (que vai usar para o molho). Reserve

Molho branco: Aqueça o leite e a água (de cozer a pescada e o camarão) num tacho com uma pitada de sal, noz moscada e pimenta.
Entretanto, numa frigideira derreta a manteiga e incorpore-a com a farinha para evitar que o molho fique com grumos. Junte o preparado ao leite fervido e mexa com uma vara de arames. Quando o molho voltar a ferver vai engrossar. Separe os ovos (gemas e claras), mexa as gemas e envolva-as no molho. Retire do lume e reserve. 

Puré de batata: Siga as instruções de preparação, fornecidas na embalagem. 

Num tacho, deite o azeite, a cebola e o alho. Leve a lume e deixe amolecer um pouco. Junte o tomate (limpo de peles e sementes) aos cubos pequenos e o pimento (cortado em lâminas muito finas).
Envolva e deixe estufar uns 3 minutos. Adicione a Pescada (desfeita) e mexa.
Regue com cerca de 2/3 do molho branco e misture tudo. Desligue o fogão e reserve.

Bata as 2 claras de ovo em castelo e envolva-as no restante molho (1/3). Reserve.

Montagem: Coloque a camada de puré no fundo de um pirex. Cubra-a com a camada de pescada.
Disponha os camarões (descascados) e por cima destes regue com o molho restante.
Salpique com o queijo ralado, distribua algumas azeitonas e leve ao forno pré-aquecido a 200ºC, durante cerca de 10 minutos.
Retire do forno e sirva de imediato.


Polvo à Minhota


Ingredientes (para 4):

  •  1 saqueta de Puré de Batata MAGGI
  • 4 pernas de polvo
  • 4 fatias de presunto
  • 1 pimento vermelho
  • 1 cebola
  • 4 dentes de alho
  • salsa q.b.
  • azeite
  • maionese de pimento*
*maionese de pimento:
  • 4 colheres (sopa) de maionese 
  • 1/2 pimento vermelho (sem pele)
  • 1 dente de alho
  • Sal q.b.
  • 2 colheres (sopa) de água

Preparação:

Cozer o polvo (normalmente cozo-o a vapor).

Maionese de pimento: Na liquidificadora, junte o alho, o pimento, a maionese, o sal e a água. Bata até emulsionar. Reserve no frigorífico.

Puré de batata: Siga as instruções de preparação, fornecidas na embalagem.

Num tabuleiro de forno (melhor se for de barro), disponha metade do azeite, cebola, alho, pimento e salsa.
Corte ao meio as pernas de polvo (no sentido do comprimento) e coloque-as em cima da "cama" que fez no tabuleiro, recheando-as com o presunto.
Distribua por cima do polvo a restante metade do azeite, cebola, alho pimento e salsa.

Faça montes de puré à volta, deite maionese de pimento (ou normal se preferir) por cima do polvo e leve ao forno a gratinar.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

mostre-nos o Chef que há em si!




MAGGI CHEF MADEIRA


A MAGGI está à procura do maior talento culinário da ilha da Madeira.

Inscrevam-se no Passatempo MAGGI Chef Madeira até dia 25 de junho através do seguinte email: maggi.portugal@pt.nestle.com

Consultem o regulamento e mais informações sobre o passatempo aqui: https://saboreiaavida.nestle.pt/passatempos 


 Conheçam os novos produtos Nestlé em: https://www.facebook.com/NestleSaboreiaaVida


https://saboreiaavida.nestle.pt/produtos/maggi/


A receita...

 

Ingredientes:

1 kg de lombo fatiado
1 saqueta de Maggi Suculento no Forno Entrecosto à Antiga com Alho e Pimentão Doce

 

Preparação:

Fácil, fácil! É só seguir as instruções ;)


E qual é o assado de domingo que não nos deixa umas fatias para fazer umas deliciosas sandes? Pois é!

Então... basta usar a imaginação e juntar o que mais nos agrada. Hoje apeteceu-me assim, com queijo, alface e tomate!


Inspirados? Claro que sim! Deliciem-se e... vemo-nos na Madeira! 

P.S. - Prometo que partilho convosco as novidades sobre este belo e delicioso passatempo.
 


sábado, 27 de maio de 2017

Queijadas de requeijão




A Queijo Saloio lançou cinco novos produtos da gama Requeijões do Campo (Rico em Cálcio, Cabra, Alho e Ervas, Ovelha e Teor de Sal Reduzido). 

O que vos tenho a dizer é que são bem deliciosos! Seja simples, a acompanhar umas tostas, um bom doce/compota ou transformados em queijadas gulosas. Ficam bem de qualquer maneira ;)


Esta é apenas uma das imensas sugestões possíveis, por isso dêem largas à imaginação! 

 

Queijadas de requeijão

 (rende 18 queijadas)

 

Ingredientes:

  • 2 Requeijões (340g) - usei Saloio (rico em cálcio)
  • 7 ovos
  • 300g de açúcar
  • 70g de manteiga
  • 150g de Farinha
  • 1 colher (sobremesa) de fermento
  • manteiga e açúcar (para untar as formas)

 

Preparação:

Aquecer o forno a 190ºC e untar um tabuleiro de formas de queque, primeiro com manteiga e depois polvilhar com açúcar.
Na taça da batedeira, desfazer os requeijões com a ajuda de um garfo, juntar o açúcar e bater tudo até misturar muito bem.
Adicionar a manteiga amolecida, os ovos e bater um pouco. Acrescentar a farinha e o fermento (peneirados) e bater até homogeneizar.
Encher as formas até 2/3 (crescem um pouco) e levar ao forno durante 15 a 20 minutos, até a massa ficar bem dourada.

Esperar que as queijadas arrefeçam ligeiramente e desenformar.

sábado, 20 de maio de 2017

Nespresso Gourmet Weeks 2017 - 3ª Edição

www.nespresso.com
@Nespresso

"Nespresso e a Gastronomia, a paixão pela perfeição é o que os une!"


Pela terceira vez, a Nespresso desafiou alguns dos mais conceituados Chefs em Portugal a criar menus exclusivos, que primaram pela excelência e onde o café foi a estrela principal.

Como já nos habituaram, quer a Nespresso, quer tão talentosos Chefs (anfitriões e convidados),estes eventos são magníficos e totalmente memoráveis.

Os Chefs anfitriões:



Ricardo Costa, Rui Paula, Vítor Matos, Pedro Lemos, João Rodrigues, Henrique Leis, Luís Pestana e Henrique Sá Pessoa. Estes chefs, Estrela Michelin, foram os anfitriões da 3ª Edição Nespresso Gourmet Weeks e receberam nas suas cozinhas outros chefs convidados para, a quatro ou mais mãos, criarem jantares exclusivos, onde o café foi a fonte de inspiração de toda a refeição.

Os jantares decorreram entre 19 de abril e 14 de maio, iniciando no Porto e terminando em Lisboa. Esta edição estendeu-se ao Algarve e, pela primeira vez, à bela Ilha da Madeira.


À semelhança das anteriores edições esta foi um sucesso, recheada de pratos fabulosos, tal como se pode perceber pelas fotos dos pratos apresentados.


CASA DE CHÁ DA BOA NOVA | 20 de abril


  Lagostim, couve-flor, ar de Exclusive Selection Kilimanjaro Peaberry e leite de amêndoa
Chef Rui Paula
foto: Rita Santana@ClementineThings


Pombo assado e beterraba com Exclusive Selection Nepal Lamjung
Chef Miguel Rocha Vieira 
foto: Rita Santana@ClementineThings


Robalo do mar, Exclusive Selection Kilimanjaro Peaberry, bisque e aipo
Chef Miguel Rocha Vieira
foto: Rita Santana@ClementineThings


Vazia de Wagyu, molho de pimenta com Exclusive Selection Nepal Lamjung e crocante de
Exclusive Selection Nepal Lamjung
 Chef Rui Paula 
foto: Rita Santana@ClementineThings

Café da manhã com espuma de Exclusive Selection Kilimanjaro Peaberry
Chef Rui Paula  
foto: Rita Santana@ClementineThings

Avelã, cereais e pão tostado com gelatina de Exclusive Selection Nepal Lamjung
Chef Rui Paula  
foto: Rita Santana@ClementineThing
 



Chef anfitrião: Rui Paula - Casa de Chá da Boa Nova 

foto: Rita Santana@ClementineThing

Todos os pratos foram harmonizados com vinhos excelentes, servidos pelo Sommelier anfitrião, Carlos Monteiro (Casa de Chá da Boa Nova) e pelo Sommeelier convidado, António Lopes (Hotel Anantara Vilamoura).


Estou certa de que qualquer das experiências teria sido magnífica, tal como o foram, para mim, a 1ª edição (Pedro Lemos), 2ª edição (The Yetman), e 3ª edição (Casa de Chá da Boa Nova).

Uma experiência incrível, capaz de despertar todos os sentidos, imperdível para os bons amantes do café e da gastronomia!


domingo, 14 de maio de 2017

(outra) Tarte de casulas e amêndoa





(outra) Tarte de casulas e amêndoa


Na publicação anterior, contei-vos que andava em experiências com as casulas (lá explico o que são as casulas). Andava mesmo!

E, em abono da verdade, devo dizer que valeu a pena. Esta tarte ficou, na opinião de quem provou, (ainda) melhor que a anterior!

Ficam com as duas versões para testarem, sendo que a primeira é um bocadinho mais "magra" e a segunda é para os mais gulosos (como eu).

Se fizerem alguma, depois partilhem connosco como correu. É óptimo saber a vossa opinião ;)





domingo, 7 de maio de 2017

Tarte de casulas e amêndoa






ca·su·la

[Portugal: Trás-os-Montes] [Culinária] Vagem de feijão, colhida ainda verde e cortada em pequenos pedaços que secam ao sol e que, depois de demolhados, são cozidos e usados na alimentação (ex.: butelo com casulas). [Mais usado no plural.]

"casulas", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://www.priberam.pt/dlpo/casulas [consultado em 07-05-2017].




casulas


domingo, 23 de abril de 2017

Miminhos de coco



Miminhos de coco ou Quindim à minha moda!


Há muito que namoro o quindim e me sinto tentada a experimentar. Tem tudo o que gosto num doce... e são tão lindos :)

Mas, como já vos deve ter acontecido, vejo dezenas de receitas diferentes e fico sempre na dúvida qual será a mais fiel à original.

Bem, de todas as receitas que vi e me serviram de inspiração resultou este miminho doce que aqui partilho convosco.

Ficaram deliciosos, mas aceito sugestões, dicas e a "verdadeira" receita para poder experimentar e partilhar aqui o resultado.





Ingredientes:

  • 250g de açúcar
  • 100ml de água
  • 125g de coco ralado
  • 1 colher (sopa) de manteiga
  • 1 limão (raspa)
  • 1 colher (chá) de aroma de baunilha (opcional)
  • 3 gemas de ovo
  • 3 ovos

 

Preparação:


Pré-aquecer o forno a 180ºC.

Levar ao lume uma caçarola/tacho com o açúcar e a água. Deixar ferver, sem mexer, até atingir um ponto de fio fraco. Retirar do fogão.


Num recipiente juntar o coco, a manteiga, a raspa de limão, a baunilha (ou outro aromatizante, se preferir) e regar com a calda quente. Mexer até envolver tudo e a manteiga derreter.  Deixar arrefecer um pouco.


Numa taça (prefiro de louça, quando faço este tipo de doçaria) colocar um coador de malha fina e sobre este deitar as gemas e os ovos inteiros (isto impede que a membrana que envolve a gema se junte ao doce e lhe confira um sabor e textura desagradável).

Assim que os ovos tenham passado totalmente para o recipiente, retire o coador e envolva lentamente a gemada no preparado de coco. Misturar tudo muito bem, mas sem bater.

Untar pequenas formas com manteiga (uso um tabuleiro de queques), polvilhar com açúcar e encher com a mistura anterior.

Colocar as formas num tabuleiro (com o fundo coberto de água) e levar a cozer em banho-maria, durante cerca de 40 minutos.


Depois de cozidas, desenformar e deixar arrefecer.



OBS.:  Pode untar as formas enquanto o coco arrefece e os ovos coam. O tempo de cozedura pode variar, devido às diferenças de fornos. Antes de desenformar verificar a cor dos bolinhos e se estes se apresentam firmes ao toque.


sábado, 8 de abril de 2017

Sugestões para a Páscoa

O dia está lindo e o fim de semana promete sol. Tão bom, não é?

E sabem como o podem melhorar? Fazendo boas e deliciosas refeições!

Que tal experimentar alguma(s) receita(s), destas que vos sugiro ;)

Depois contem a(s) que escolheram e se possível partilhem as fotos. Adoro saber como vos correu a experiência.



Um abraço, com os votos de um soalheiro e doce fim de semana



(receitas - clicar na imagem)




                              

quarta-feira, 15 de março de 2017

Bolo de caneca (micro-ondas) | Brownie in mug




Depois de tantas experiências na cozinha, lá me rendi ao tão famoso "Bolo de Caneca".

Várias vezes (naqueles momentos quero-alguma-coisa-doce-já) me senti tentada a testar este pecadito... mas achava sempre: "oh, isto não vai correr muito bem" ou "não me parece que saia daqui grande coisa". Bem, mas há que experimentar para se poder dar opinião!

Até porque confesso que estava à espera de ter o micro-ondas certo para o poder fazer...

E agora já tenho! Olhem que lindo 💙



Veredicto: Gostei e serve muito bem o seu propósito. É ultra-rápido de preparar, confeccionar e acalma a gula num instantinho.


Acerca do micro-ondas: O prato não rotativo é uma grande inovação e agrada-me imenso. Adorei!


Deixando-me de conversa... cá vai a receita (adaptada daqui) :



Bolo na caneca

Ingredientes:

  • 30g de farinha
  • 50g açúcar mascavado
  • 2 colheres (sopa) de cacau
  • 2 colheres (sopa) de manteiga, derretida
  • 60ml de leite

Preparação:

Numa caneca, juntar a farinha, o açúcar e o cacau em pó. Misturar muito bem.
Adicionar a manteiga sem sal derretida e o leite. Mexer até obter um creme homogéneo.
Levar ao micro-ondas por 2 minutos. Se verificar que ainda não está cozido, vá incrementando 10 segundos de cada vez, até estar pronto.
Deixar arrefecer por cerca de 10/15 minutos antes de servir.







Perfect Brownie in Mug - 5-Ingredient Microwave Recipe


Ingredients
  • ¼ cup all-purpose flour (30g)
  • ¼ cup light brown sugar (50g)
  • 2 tablespoons unsweetened cocoa powder
  • 2 tablespoons unsalted butter, melted
  • ¼ cup milk (60ml)
Instructions
  1. First, in a mug add in all-purpose flour, light brown sugar, and unsweetened cocoa powder. And whisk until homogeneous. Make sure there is no cocoa lumps.
  2. Add melted unsalted butter and milk into (1). And stir until homogeneously mixed. The chocolate batter smells already so good.
  3. Clean the rim a little and microwave for 1 minute. The oven is set to 800 watt and my brownie doesn't explode. Check the power of your microwave oven and if yours is stronger, microwave for 30 seconds at a time. Then repeat microwaving for 10 seconds at a time until there is no fluid on surface. It took 1 minute and 30 seconds today.
  4. Let cool little for about 20 minutes before serving.
Recipe adapted from here: http://eugeniekitchen.com

sábado, 11 de março de 2017

Arroz de curcuma

 

 

Curcuma não é açafrão


A curcuma e o açafrão vêm de plantas diferentes, de espécies diferentes, o que lhes confere um sabor distinto.

No entanto, há uma grande confusão entre estes dois ingredientes. Seja por desconhecimento, ou propositadamente, muitos mercados vendem curcuma em pó e chamam-lhe açafrão.

Esta “prima” do gengibre, também chamada turmérico, raiz-de-sol, açafrão-da-índia ou açafrão-da-terra, é usada há mais de 2 500 anos na Índia.

O açafrão é o estigma (pistilos) de uma flor (Crocus sativus), sendo que cada flor dessas tem só 3 estigmas. Para conseguir 1kg de Açafrão são necessárias cerca de 150 mil flores! O processo de extracção é totalmente manual e por isso não admira que esta seja uma das mais caras ou a mais cara especiaria que existe. Habitualmente, o açafrão compra-se na forma de pequenos filamentos secos.


À curcuma, apelidada de super raiz, atribuem-se propriedades anti-inflamatórias, antissépticas e anti-bacterianas, levando a que este tempero picante se transforme num medicamento natural.


Ler artigo: Curcuma, a super raiz que faz bem… a tudo

 

Curcuma - de formato idêntico ao gengibre, apresenta uma coloração mais intensa

 

Ingredientes:

  • 50 ml de azeite
  • 1 copo/taça de arroz (usei agulha)
  • 2 copos/taças de água
  • 1 raiz de curcuma (ralada) 
  • sal q.b.
* usar o dobro da água, em relação ao arroz. A dose, recomendada, de arroz (seco) por pessoa é de 70g.


Preparação:

No tacho/alguidar  colocar o azeite, o arroz, a curcuma ralada e envolver muito bem. Acrescentar a água, ajustar o tempero de sal e mexer, para separar os grãos de arroz.
Levar ao forno, pré-aquecido a 220ºC, e deixar cozer cerca de uma hora.

Nota: Pode aproveitar-se o forno para assar (ao mesmo tempo que se coze o arroz) carne/peixe/batatas... etc.





O arroz serviu de acompanhamento a um frango do campo, assado no forno.

Como entrada, segui a sugestão do senhor do talho (da minha rua): Cortei uma morcela às rodelas e levei à frigideira a tostar de ambos os lados.

Uma refeição deliciosa!


sábado, 4 de março de 2017

Bolo de maçã, gengibre, noz moscada e canela




O sábado é, por norma, o meu dia favorito da semana e acredito que o seja também para muitos de vós. Habitualmente faço mil planos, durante a semana, para este dia mas só quando acordo de manhã é que decido o que vou fazer. Só ao sábado me posso dar a este "luxo"... e nem sempre, pois há compromissos e "o que tem que ser, tem muita força"!

Para que me deu hoje? Limpezas! Acho que é o anunciar da primavera... Por esta altura do ano começa a dar-me vontade de mudar. De mudar! Sabem aquelas mudanças do 1 de Janeiro? Pois é... ando atrasada e só quando os dias começam a ficar menos frios e não tão pequenos é que meto "mãos à obra".

Das várias limpezas que fiz acabou por "nascer" este bolo. Não sei se vos acontece, mas a mim é frequente... Começo a fazer uma tarefa qualquer e quando dou por mim, estou a cozinhar :D 

Assim foi hoje! Comecei por "limpar" o correio e a páginas tantas encontrei um velho email que a minha querida amiga Dulce, do maravilhoso blogue Cozinha da Duxa, me enviou em 2013. De que se tratava? De uma receita de bolo de maçã, que me pareceu delicioso e me fez vir à memória as maçãs velhinhas e engelhadas que andavam na fruteira. Eram seis e tiveram um doce fim!

Viva o sábado, a amizade e a partilha!






Ingredientes:

  • 3 ovos
  • 240 g de açúcar
  • 2 maçãs raladas (usei o raspador - fino)
  • 125 ml de óleo
  • 240 g de farinha
  • 1 colher (sopa) de fermento
  • 1 colher (café) de canela
  • 1/2 colher (café) de noz moscada
  • 1 colher (café) de gengibre em pó
  • 1 maçã laminada em rodelas finas
  • 2 colheres (sopa) de açúcar demerara [ou outro, na falta deste]

Preparação:

Preaquecer o forno a 180º, untar uma forma com manteiga e polvilhar com farinha.

Na taça da batedeira colocar os ovos, o açúcar, a maçã ralada e bater bem.
Adicionar a farinha peneirada com o fermento, a canela, a noz moscada e o gengibre. Continuar a bater e juntar, em fio, o óleo. Bater tudo, até a massa começar a formar bolhas de ar (cerca de 2 minutos).

Deitar a massa na forma, laminar a maçã e dispor sobre o bolo, polvilhar com o açúcar, e levar ao forno cerca de 45 minutos, ou até o bolo ficar cozido (testar com um palito).

Retirar do forno, deixar arrefecer um pouco e desenformar.




domingo, 19 de fevereiro de 2017

Butelo com casulas




Festival do Butelo e das Casulas

24 a 26 Fev 2017, no Município de Bragança
O butelo é o exemplo acabado do bom aproveitamento do porco: envolvido pela bexiga ou pelo bucho, o humilde recheio de ossinhos do espinhaço e das costelinhas, com alguma carne agarrada, torna-se responsável pelas suas formas ventrudas e caprichosas e pelo seu inigualável sabor. Durante o Festival, será possível adquirir o butelo e as casulas, bem como todos os enchidos transmontanos e produtos hortícolas directamente aos produtores, num espaço instalado para o efeito na Praça Camões.

É costume comer este enchido artesanal, típico das casas do distrito de Bragança, no sábado de carnaval, acompanhado pelas cascas de feijão secas, a que também se chama casulas.

Decorrerá em simultâneo a Semana Gastronómica do Butelo e das Casulas de Bragança nos restaurantes aderentes.

Além da visita ao Festival do Butelo e das Casulas e da obrigatória degustação deste enchido aproveite para assistir e participar no Carnaval dos Caretos que acontece sábado, dia 25 de fevereiro. 

Informação: Rota da Terra Fria Transmontana





Ingredientes

  • 1 butelo
  • 500g de casulas (ou cascas)
  • 1 chouriço (caseiro - transmontano)
  • 1 cebola
  • 4 batatas
  • azeite virgem extra (transmontano)

Preparação:

Pôr as casulas de molho de véspera.
Colocar o butelo a cozer, em água a ferver, durante cerca de 2h30 a 3 horas (em função do tamanho).

Noutro tacho, ferver água com sal, deitar as cascas escorridas, uma cebola e a chouriça. A cozedura verifica-se através dos feijões. Em geral, esta cozedura demora pouco mais de 1 hora.

Num outro tacho, cozer as batatas.


Fevereiro, 2015 - com Lígia Santos e Confraria do Butelo e da Casúla em Restaurante Foz Velha