sábado, 1 de agosto de 2015

Tarte de Lamego

 

O pecado (não) mora ao lado!


Pois não, mora mesmo aqui!!! Uma tarte que leva 0,5 Kg de açúcar habilita-se a ser considerada um pecado capital. :)

Pois é... bem vi por aí que alguns lhe "roubam" açúcar e garantem que fica igualmente deliciosa. Mas eu nestas coisas, da doçaria regional, não gosto de alterar nada. Se é para experimentar, que seja à séria!

Claro que não posso andar a comer estas tentações todos os santos dias (não que me importasse), mas às vezes tem que ser. Até porque ainda há tanto a experimentar e esta é só mais uma das infinitas receitas maravilhosas da nossa doçaria regional.

Desta vez rumei até Lamego, que é uma cidade no norte de Portugal, possuidora de uma grande riqueza histórica, cultural e gastronómica.

Exemplo dessa riqueza é esta tarte, que tal como a maioria da nossa doçaria regional, tem como ingredientes base a amêndoa, os ovos (sobretudo gemas) e o açúcar.



E por falar em pecados... outro grandito é a cobiça!

Que foi exactamente o que eu cometi ao namorar estas cozinhas! Bem... há-as para todos os gostos e tal como na doçaria, não me importava de as experimentar a todas.


São lindas e já me fizeram imaginar a minha artilharia espalhada por aqueles móveis. E olhem que não é pouca... Um dia destes, quiçá agora nas férias, vou tirar umas fotos e partilho-as aqui convosco.

É que já não há armários suficientes e a minha cozinha, qual polvo, estendeu-se para onde podia.  Facilmente se encontra livros, pratos, talheres, panos, paninhos e outros que tal, em qualquer gaveta ou prateleira da casa.

Quem tem um blog de culinária, sobretudo esses, compreenderão certamente do que falo! :)

 

Agora, que já me confessei, vamos ao que me trouxe aqui: 

 

Tarte de Lamego

 

Ingredientes:

  • 150 g de amêndoa moída (farinha de amêndoa)
  • 6 gemas de ovo
  • 3 ovos inteiros
  • 500 g de açúcar
  • 200 ml de água
  • massa folhada*
  • q.b. de açúcar em pó

*actualmente há uma boa oferta de mercado no que respeita à massa folhada. Mas, se tiverem tempo, podem sempre optar por fazer a vossa massa (ver receita abaixo).


Preparação:

Ligar o forno a 200ºC.

Levar ao lume um tacho com a água e o açúcar para fazer uma calda transparente (ponto de fio ligeiro).
Assim que atingir o ponto desejado, retirar imediatamente do lume e deixar amornar um pouco.

Num recipiente (prefiro sempre de louça, quando faço este tipo de doçaria) colocar um coador de malha fina e sobre este deitar as gemas e os ovos inteiros. (isto é importante, pois vai impedir que a membrana que envolve a gema se junte ao doce e lhe confira um sabor e textura desagradável).
Assim que os ovos tenham passado totalmente para o recipiente, retirar o coador e envolver a amêndoa.
Em fio, lentamente, incorporar a calda de açúcar. (uso apenas uma colher de pau para o fazer). Reservar.


Forrar uma forma de tarte (de preferência de fundo amovível) com a massa folhada (uso o papel vegetal para ajustar a massa à forma).
Verter a mistura (aparelho) preparada anteriormente, polvilhar, generosamente, com açúcar em pó e levar ao forno por cerca de 30 minutos. (a cor dourada e a capa que se forma na superfície, devido ao açúcar em pó, mostram que está pronta)

Deixar arrefecer, desenformar e servir.


Massa folhada

Ingredientes:
  • 300g de farinha
  • 250g de margarina para folhados
  • Sal e água q.b.

Preparação:

Misture a farinha e o sal diluído na água e trabalhe a massa até a ligar. Divida a margarina em 3 porções. Estenda a massa, espalhe sobre ela uma das porções de margarina e enrole como um tapete. Repita esta operação mais duas vezes até esgotar a margarina. No final, deixe descansar 20 minutos.

terça-feira, 28 de julho de 2015

Bolo de amêndoa e azeite com ananás caramelizado



Hoje andei a rever algumas fotos feitas para o blog e percebi que, apesar de ter publicado na página do facebook, ainda não tinha partilhado esta receita aqui, convosco.

Não pude deixar de o fazer, pois trata-se de uma combinação muito interessante de ingredientes, que resultam num bolo especial.

Aliás, ovos/amêndoa, azeite/amêndoa... qualquer coisa/amêndoa, qualquer coisa/ovos, azeite/qualquer coisa, etc, etc...


Tantas combinações possíveis, doces ou salgadas, todas deliciosas!

E é esta a magia da cozinha ;)



Ingredientes:

Bolo
  • 100 gr azeite virgem extra
  • 60 gr de amêndoa com pele (triturada)
  • 100 gr farinha para bolos
  • 3 ovos
  • 110 gr açúcar
  • 1 colher (sopa) de raspa de limão
  • 90 gr leite

Cobertura

  • 1 ananás (cortado em fatias, no sentido do comprimento)
  • Açúcar de cana (3 colheres sopa)
  • q.b. de lâminas de amêndoa e uvas-passas (para decorar - opcional)

Preparação:

Bater os ovos, juntamente com o açúcar e a raspa de limão. Lentamente (em fio) adicionar o azeite e o leite.
Envolver (sem bater) a farinha peneirada, o fermento e a farinha de amêndoa.

Despejar a massa (é uma massa não muito consistente) num tabuleiro (quadrado ou rectangular) e levar ao forno, pré-aquecido nos 200ºC, por aproximadamente 15 minutos. Testar com o palito, antes de retirar.
Desenformar e deixar o bolo arrefecer.

Cortar rectângulos de ananás ou abacaxi (todos do mesmo tamanho).
Numa frigideira, colocar o açúcar e os rectângulos de ananás. Levar ao lume e deixar caramelizar de ambos os lados.

Cortar quadrados, ou rectângulos do bolo e cobrir com as tiras de ananás caramelizadas.
Salpicar com as lâminas de amêndoa e uvas-passas. 

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Frango com molho de cerveja




Há dias em que chegamos a casa e o que mais nos apetece é preparar uma refeição reconfortante, sentar à mesa, desfrutar do prato, da companhia, de um copo de vinho e de dois dedos de boa conversa.

Hoje deixo-vos ficar uma receita de frango com molho de cerveja, que se presta ao que referi em cima e ainda a molhar o pão... o que confesso ser uma das minhas perdições.






Receita criada para o robot Cuisine Companion da Moulinex


Frango com molho de cerveja

Ingredientes:


  • ½ Frango do campo
  • 1 cebola
  • 2 dentes de alho
  • 1 tomate maduro
  • ¼ pimento vermelho
  • ½ malagueta vermelha
  • 60 ml de azeite
  • 200 ml de cerveja
  • Sal e pimenta q.b.

Preparação:

Parta o frango em pedaços (ou peça no seu talho que o façam) e disponha-os na taça do robot. Junte o azeite e seleccione o programa P1 de cozedura lenta a 130ºC, durante 3 minutos. No final do programa, vire o frango ao contrário e repita o processo. Retire o frango da taça e reserve.

Descasque o alho, a cebola e corte em pedaços. Retire a pele e sementes do tomate e corte grosseiramente. Limpe de sementes o pimento, a malagueta e corte-os em tiras.

Coloque a cebola, alho, tomate, pimento e malagueta na taça e pique na velocidade 11 durante 10 segundos. Substitua a lâmina picadora pelo acessório misturador. Junte o azeite e seleccione o programa P1 de cozedura lenta a 130ºC, durante 5 minutos.

Junte o frango (reservado), tempere com sal, pimenta e regue com a cerveja. Seleccione o programa P2 de cozedura lenta a 95ºC, durante 45 minutos.

No final do programa retire o frango e o acessório misturador. Com uma concha/colher remova a camada de gordura que se formou à superfície. Coloque a lâmina picadora e programe 130ºC, velocidade 6 durante 1 minuto.

Sirva o frango regado com o molho.



Sugestão de acompanhamento: arroz branco.

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Tarteletes de alperce e amêndoa


Os fins de semana quentes estão aí e a vontade de sair e fazer um pic-nic com os amigos e a família também!
Bem sei que por norma se pensa primeiro nos salgados... mas como doceira assumida que sou, penso logo nos doces :)

Há dias recebi um generoso convite para embarcar numa viagem às origens dos cremes vegetais e à receita que faz deles os nossos aliados preferidos no pão e na cozinha. Muito feliz, comecei o dia com uma incursão ao campo, para ver o ambiente natural em que cresce e vive o girassol.

Depois de perceber de que forma e em que condições é semeado e como se transforma em óleo (de girassol), rumei à fábrica FIMA (unidade fabril em Santa Iria da Azóia), onde tive o privilégio de aprender a receita que o transforma no creme vegetal que usámos em nossa casa.

Fica prometido que farei uma publicação a explicar tudo o que pude aprender nesta visita, sobre os cremes vegetais, incluindo a receita.

E foi a pensar em belos momentos de lazer e nos floridos campos de girassol que me surgiu a inspiração para preparar estas deliciosas tarteletes (ou mini-tartes, se preferirem).

Aproveitem o sol, divirtam-se e tenham um excelente fim de semana ;)

 
campo de girassóis na zona de Porto Alto/Alcochete


Estes momentos são, só por si, um privilégio e ainda por cima vou tendo a oportunidade de conhecer gente linda e simpática, como é o caso da Sandrine Ginja - do blog As várias faces da Ginja.
 


Da semente ao óleo

 
Escolha Vegetal

 

Tarteletes de alperce e amêndoa

 

Ingredientes: 

  • 1 placa de massa folhada 
  • 250 gr. de amêndoa em pó
  • 6 gemas de ovos
  • 100 g de açúcar 
  • 50 g de açúcar baunilhado
  • 100 g de açúcar mascavado
  • 1 pitada de sal
  • 1 frasco/lata de alperce em calda- metades
  • sumo de 1 laranja
  • 100g de creme vegetal para culinária (usei Vaqueiro líquida)
  • 1 pitada de sal 
  • açúcar em pó (para polvilhar) 
Cobertura:
  • 4 colheres (sopa) de nougat de amêndoa picado
  • 2 colheres (sopa) de amêndoa cortada em palitos
  • 5 alperces secos cortados em tiras

Obs.: Pode usar apenas um tipo de açúcar e optar por fazer uma tarte de tamanho grande (forma 26cm). Rendeu 6 tarteletes e sobrou recheio, por isso aconselho o uso de duas placas de massa folhada (dará para outras tantas).

 

Preparação:

Estender a massa, cortar 6 rodas grandes (usar um cortador/molde)  e forrar as formas de tarte. Picar com um garfo e reservar.

Misturar as gemas, o açúcar, o sal, o creme Vaqueiro e o sumo de laranja. Bater até obter um preparado homogéneo. Adicionar a farinha (peneirada), a amêndoa e envolver bem.

Deitar este preparado nas formas e colocar, no centro das mesmas, as metades de alperce.
Misturar todos os ingredientes da cobertura e distribuir pelas formas, sem cobrir os alperces.

Levar ao forno a 180ºC durante cerca de 35 minutos.

Desenformar e pincelar os alperces com geleia ou outro doce à escolha, para que fiquem com brilho. Polvilhar com açúcar em pó (com cuidado para não polvilhar o centro). Servir frias.


segunda-feira, 6 de julho de 2015

Trifle de Suspiros e Frutos vermelhos


Vou de Suspiros Todo este Ar Enchendo


Vou de suspiros todo est' ar enchendo,
vou a terra de lágrimas regando,
mais água aos rios, mais às fontes dando,
e com meu fogo em tudo fogo acendo.

E quando os olhos meus, senhora, estendo
para onde o Amor e vós m'estais chamando,
as altas serras em qu' os vou quebrando
da vista me tolher s' estão doendo.

Mas nisto acode Amor, que sempre voa;
eu pelas asas, eu pelo arco o tenho,
té me levar consigo onde desejo.

E jurarei, senhora, que vos vejo,
jurarei qu' essa doce voz me soa.
Nesta imaginação só me sostenho.

António Ferreira, in 'Poemas Lusitanos'

 

 

Ingredientes:

  • Iogurte Grego
  • Suspiros
  • Natas (para bater)
  • Amoras silvestres
  • Framboesas
Coulis de amoras:
  • 300g de amoras
  • 100g de açúcar
 Coulis de framboesa:

  • 2 chávenas deframboesas
  • 1/4 chávena de açúcar
  • 2 colheres (sopa) de sumo de laranja

Obs: As quantidades a  utilizar variam de acordo com o número de taças que se pretende preparar.



Preparação:


Coulis de amoras: 
Deite as amoras para uma frigideira, junte o açúcar e leve ao lume brando até as amoras ficarem macias e o molho com a consistência de xarope. Retire e deixe arrefecer. (coei para retirar as pequenas sementes).


Coulis de framboesas:
Leve ao lume, num tacho pequeno, todos os ingredientes e vá mexendo até que os morangos se desfaçam. Retire e deixe arrefecer.


Bata as natas até ganharem volume. Reserve.

Em taças, disponha camadas alternadas de iogurte, suspiros, natas, coulis de amora e framboesa,e os frutos vermelhos.

Leve ao frio até servir.

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Gelado "do que havia"




Inúmeras vezes vos apresento receitas preparadas com "o que havia" no frigorífico e/ou armários cá de casa. Hoje trago-vos mais uma dessas experiências.

Devo dizer, em abono deste gelado, que é dos melhores que já preparei!


Com muito amor e boa vontade até o que resta se transforma em algo especial. Concordam?




Gelado de lemon curd

 

Ingredientes:


o que havia...
  • 1/2 lata de leite condensado
  • 250 ml de iogurte grego
  • 100 ml de natas (batidas)
  • 4 colheres (sopa) de lemon curd

 

Preparação:


Bater as natas e reservar.

Num recipiente misturar o leite condensado, o iogurte grego e o lemon curd. Com uma vara de arames (fouet) envolver as natas, até obter um creme liso e homogéneo.

Deitar o creme na sorveteira, seguindo as instruções do fabricante, até que obtenha um gelado cremoso. (Na minha máquina demorou cerca de 30 minutos).

Colocar o gelado num recipiente com tampa e levar ao congelador. Retirar uns 5/10 minutos antes de servir.


Sem sorveteira - congele a mistura num recipiente próprio, destapado, durante 1-2 horas, ou até começar a solidificar nas bordas. Deite a mistura numa tigela e mexa com um garfo ou bata na liquidificadora até ficar macia. Volte a colocar no congelador e gele durante mais 2-3 horas, ou até ficar firme.Tape o recipiente com uma tampa.


segunda-feira, 22 de junho de 2015

Copinhos de Cheesecake com Lemon Curd



Ingredientes:

  • 250 g de queijo mascarpone
  • 2 colheres (sopa) de açucar em pó baunilhado
  • 100 ml de natas batidas (ou chantilly)
  • 8 colheres (sobremesa) de curd de limão
  • 8 bolachas de amêndoa

Preparação:


No recipiente da batedeira bater o queijo mascarpone até este se apresentar suave.
Adicionar o açúcar em pó e bater até ficar bem misturado.
Envolver, gradualmente, as natas batidas até que se formem um creme homogéneo.

Triturar a bolacha e colocar no fundo dos copos. Cobrir a bolacha com o creme de mascarpone, intervalando com o curd de limão.
Levar os copinhos ao frigorífico até ao momento de servir.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...