terça-feira, 9 de agosto de 2022

Bacalhau à Brás

 

Aquele bacalhau que não se pode levar para o piquenique, nem para a praia!


Em junho de 2022 a Diretora Geral da Saúde, Doutora Graça Freitas, revelou que esta receita leva muita gente às urgências.


Origem e receita


O bacalhau à Brás – também referido, algumas vezes, bacalhau à Braz – é um prato popular português. Ao bacalhau desfiado, junta-se a batata frita cortada finamente.

E, depois, só falta adicionar cebola cortada às rodelas finas e os ovos batidos. Também é comum acompanhar com salsa picada e azeitonas. 

A origem deste petisco nacional surgiu na taberna do Sr. Brás, localizada em pleno Bairro Alto, na capital portuguesa.

A fama do bacalhau à Brás conquista muitos apreciadores do prato e leva mesmo a que a receita ultrapasse a fronteira nacional. Em Espanha, esta iguaria portuguesa aparece em algumas ementas como Revuelto de bacalao a la portuguesa ou como Bacalau Dorado. Macau, fruto da influência portuguesa, também adotou este prato.
  
 
 
 

Bacalhau à Brás


Ingredientes:


  • 200g de bacalhau
  • 200g de batata
  • 1 cebola média
  • 2 dentes de alho
  • 2 ovos inteiros
  • 2 gemas
  • Azeite q.b.
  • Sal e pimenta q.b.
  • Salsa q.b.
  • Azeitonas q.b.

Preparação:


Cortar a batata em juliana muito fininha. Lavar muito bem, para retirar o amido. Antes de a fritar secar até retirar toda a água.
Levar ao lume, muito brando, um tacho com azeite, 1 dente de alho esmagado, uma folha de louro e o bacalhau. Quando o azeite aquecer (sem ferver), desligar e deixar cozinhar durante 10 minutos.
Retirar um pouco do azeite de confitar o bacalhau e refogar nele a cebola e o alho laminado, durante 10 minutos.
Lascar o bacalhau e picar a salsa grosseiramente.
Numa taça deitar os ovos, as gemas e bater com um garfo para misturar.
Juntar o bacalhau ao refogado da cebola e aquecer ligeiramente. Juntar a batata, colocar os ovos batidos e envolver tudo, em lume baixo.
Adicionar a salsa picada e envolver. Juntar as azeitonas ou servir à parte, conforme o gosto pessoal (prefiro as azeitonas frias).
 
 
NOTA: As quantidades indicadas deram para 2 pessoas. Ajuste as quantidades de acordo com o número de pessoas que o vão comer.

 

segunda-feira, 1 de agosto de 2022

Salame de chocolate e frutos secos


 

Meu Querido mês de Agosto!

 
Que seja muito bem vindo o mês tão ansiado por tantos. Boas férias ⛱️🏖️☀️




https://www.pexels.com


Salame de chocolate e frutos secos

 

Ingredientes:

  • 250g de chocolate (usei 70% cacau)
  • 90g de manteiga
  • 200g de biscoitos/bolachas
  • 100g de frutos secos (usei amêndoa, noz, avelã e pistáchio)
  • 1 colher (chá) de extrato de baunilha
  • 2 colheres (sopa) de bebida vegetal (ou leite)
  • 2 colheres (sopa) de licor de café (ou outro - opcional)
  • Açúcar em pó para polvilhar

Preparação:

1. Triture os biscoitos.
 
2. Derreta o chocolate e a manteiga em banho-maria, até ficar completamente homogéneo. Retire do fogão e adicione o licor, leite, extrato de baunilha, biscoitos triturados, frutos secos e misture até ficar tudo bem envolvido. 

3. Espalhe a mistura sobre papel vegetal e enrole até formar um rolo. Torça as pontas para fechar. 

4. Leve ao frigorífico por pelo menos 2-3 horas até ficar firme. 

5. Retire o papel vegetal e polvilhe com açúcar em pó (cacau, se preferir).

quinta-feira, 28 de julho de 2022

Tomate confitado

 


Tomate é tão verão!

 
Vão bem com tudo e assim confitados ficam uma delícia 👌🤤
Bem acondicionados estão prontos para durar até à próxima época... se conseguirem que lá cheguem 😉
 
 
 
https://www.pexels.com

 

Ingredientes:

  • 1 Kg de tomate pequeno, maduro mas firme
  • Azeite extra-virgem q.b.
  • 9 dentes de alho esmagados com casca
  • Ervas aromáticas (usei alecrim, tomilho e orégãos)
  • Pimenta rosa em grão
  • Sal e pimenta de moinho q.b.

 

Preparação:

Lavar e secar cuidadosamente o tomate. Dispor num tabuleiro de forno de modo a que fiquem "aconchegados" e não sobrepostos. Juntar as aromáticas, os temperos e cobrir com o azeite.

Levar ao forno pré-aquecido a 100⁰C durante 1:30h (ajustar temperatura e tempo de acordo com o vosso forno).

Após estarem confitados distribuir, com cuidado, pelos frascos de vidro devidamente esterelizados. Encher completamente os frascos com o azeite e tapar bem. Virar os frascos com a tampa para baixo até arrefecer.

segunda-feira, 25 de julho de 2022

Gaspacho

 


 

O abençoado gaspacho

 
"Quando o calor aperta, nada melhor para matar a fome e a sede do que um refrescante gaspacho. Há muitos e diferentes gaspachos, quase tantos como casas em que se come em toda a Península [Ibérica].
 
O de Évora, que é diferente do que se faz em Beja, também é diferente do de Monforte e este do de Reguengos de Monsaraz, ali ao lado.
 
Têm em comum o uso do pão, do azeite, do alho e do vinagre e o comerem-se frescos."
 
 
Maria de Lourdes Modesto (1930-2022), in “Coisas Que Eu Sei”
 
 
 
 

 
 
 

Ingredientes:

  • 1 kg de tomate maduro
  • 1/4 pimento verde
  • 1/4 pimento vermelho
  • 1/2 pepino
  • 1/2 cebola roxa
  • 1 dente de alho
  • 1 colher de sal grosso
  • q.b. de pimenta (de moinho)
  • 3 colheres (sopa) de azeite
  • 2 colheres (sopa) de vinagre
  • água mineral q.b.

Preparação:

 

Lave o tomate, o pimento e o pepino. Corte tudo em pedaços mais pequenos e coloque num copo misturador. Acrescente o alho, o sal e pimenta. Misture durante alguns segundos. 
 
Passe por um passador de rede e leve mais uma vez ao copo misturador. Acrescente o azeite e o vinagre. Misture mais uma vez e acrescente água, aos poucos, até obter a consistência desejada. 
 
Deve servir fresco, mas não com cubos de gelo.
 
Pode juntar pão seco aos cubos e pequenos pedaços de tomate, pimento, pepino e cebola.

segunda-feira, 18 de julho de 2022

Bolo de ameixa e lavanda



 

"Ameixas, ame-as ou deixe-as"

 
O vasto número de espécies de ameixa terá diferentes origens. Pensa-se que a ameixa europeia tenha sido descoberta há cerca de dois mil anos atrás, sendo originária da área próxima do Mar Cáspio.

Já na época Romana, existiam mais de 300 variedades de ameixas europeias. Estas cruzaram o Oceano Atlântico com os peregrinos, que as levaram para os Estados Unidos no século XVII.

As ameixas pertencem ao género Prunus e são da família do pêssego e da nectarina. São consideradas drupas, frutos carnudos de caroço duro, o qual contém as sementes. A ameixa pode ter uma cor púrpura, vermelha, azul-escura, verde, amarela ou âmbar. Além de ser consumida fresca, também se consome seca, em conserva, sendo também comum em alguns pratos de doçaria tradicional.

A ameixa fresca tem quase 90% de água e um baixo valor calórico, fornecendo cerca de 40 kcal/100g. É rica em nutrientes reguladores como vitaminas e minerais e ainda em fibra.

 

Vantagens e desvantagens

A ameixa tem um leve efeito diurético pelo seu conteúdo em água e , que poderá ser benéfico no caso de e hipertensão arterial ou em caso de perdas excessivas de , como durante a utilização de diuréticos. É desaconselhado em casos de insuficiência renal, visto que nesta condição o consumo de é restrito.
Este mesmo mineral desempenha um papel importante na regulação da , no equilíbrio dos fluidos do corpo e na contração muscular.

está presente em variadas reações químicas no nosso organismo, funcionando como co-enzima. É necessária na metabolização das proteínas,  e ácidos nucleicos.

Os carotenos são transformados em depois de absorvidos pelo organismo. A é um componente dos pigmentos visuais responsáveis pela receção da luz na retina. Além disso, é importante para uma pele saudável, para um crescimento saudável, para o desenvolvimento ósseo e para a reprodução.

A tem uma importante ação antioxidante. Evita a oxidação e protege a integridade de diversos componentes celulares, nomeadamente das lipoproteínas que transportam o no sangue e ajudam, assim, a prevenir problemas cardiovasculares.

A ameixa seca é amplamente conhecida como promotora do bom funcionamento intestinal, graças ao seu alto teor de fibra insolúvel que facilita a absorção de água ao nível do intestino.

Como comprar e conservar

Se desejas comprar ameixas que estão maduras e prontas para consumir, escolhe aquelas que resistem a pequenas pressões mas que se apresentam ligeiramente macias ao toque. Se preferes ameixas para amadurecerem em casa evita aquelas que se apresentem demasiado duras, uma vez que, devido à sua imaturidade, não desenvolverão bom gosto nem textura.

As ameixas que ainda não amadureceram podem ser conservadas à temperatura ambiente. Uma vez que este fruto amadurece rapidamente, verifica o seu estado um ou dois dias após a compra, de forma a garantir que não amadureceram demais. Uma vez maduras, as ameixas podem ser conservadas no frigorífico durante alguns dias.

 
Informação: Nestlé

 

 


 

Bolo de ameixa e lavanda

 

Ingredientes:


  • 3 ameixas médias, cortadas em 8 (cada)
  • 3/4 chávena (chá) de açúcar - para o caramelo
  • 2 colheres (sopa) de água - para o caramelo
  • 1 e 1/2 chávena (chá) de açúcar
  • 2 colheres (chá) de flores de lavanda secas
  • Raspa de limão
  • 200g de manteiga, derretida
  • 2 ovos
  • 3/4 chávena (chá) de leite
  • 2 chávenas (chá) de farinha com fermento


Preparação:

PASSO 1
Pré-aqueça o forno a 180°C. Unte uma forma de bolo de 20 cm e forre com papel vegetal. Forre o fundo da forma com círculos concêntricos de fatias de ameixa.

PASSO 2
Numa caçarola, misture ¾ chávena de açúcar com 2 colheres de sopa de água em fogo médio-alto. Cozinhe, até formar um caramelo âmbar, 5-6 minutos. Verta em cima das fatias de pêssego, formando uma camada uniforme.

PASSO 3
Numa taça grande, bata 1 ½ Chávenas de açúcar restante com a manteiga até ficar homogéneo. Adicione os ovos e bata até incorporar, seguido do leite e raspas de limão. 

PASSO 4
Adicione os ingredientes restantes à tigela e envolva até incorporar, em seguida, despeje sobre as ameixas cobertas de caramelo. Asse até que o topo esteja dourado e um palito inserido no centro saia limpo, 60-70 minutos.

PASSO 5
Deixe esfriar por 10 minutos e, em seguida, passe uma faca ao longo das bordas do bolo. Coloque um prato sobre a forma e inverta, descartando o papel vegetal. Deixe esfriar um pouco antes de servir.

 

 


A receita e vídeo, em inglês, no site www.thefeedfeed.com.

Lavender Plum Upside Down Cake


Recipe

Nonstick cooking spray, for greasing
3 medium plums, pitted and sliced into 8 wedges
2 1/ 4 cups granulated sugar, divided
2 sticks unsalted butter, melted
2 eggs
3/ 4 cup whole milk
1 lemon, zested (2 teaspoons)
2 cups all-purpose flour
2 teaspoons dried lavender flowers, ground
2 teaspoons kosher salt
1/ 2 teaspoon baking soda
1/ 2 teaspoon baking powder
 

METHOD

STEP 1
Preheat oven to 350°F. Grease a high sided 8-inch cake pan with cooking spray and line with parchment. Line the bottom of the pan with a concentric circles of plum slices then arrange the remaining in the center.
 

STEP 2
In a medium saucepan, combine ¾ cup sugar with 2 tablespoons water over medium-high heat. Cook, shaking the pan if needed, until an amber caramel forms, 5-6 minutes. Immediately pour over peaches in an even layer.
 

STEP 3
In a large bowl, whisk remaining 1½ cups sugar with butter until smooth. Add eggs and whisk until incorporated, followed by milk and lemon zest.
 

STEP 4
Add remaining ingredients to bowl and fold until just incorporated, then pour over the caramel-coated peaches. Bake until the top is golden and a toothpick inserted into the center comes out clean, 60-70 minutes.
 

STEP 5
Let cool 10 minutes, then run a paring knife along the edges of the cake. Place a plate over the cake pan and invert, discarding parchment paper. Let cool slightly, then serve warm.

sexta-feira, 8 de julho de 2022

Delícia de chocolate e frutos secos


 

Dia Mundial do Chocolate

Ontem, hoje e amanhã!


No dia 7 de julho assinala-se o Dia Mundial do Chocolate, ou seja, podes comer chocolate sem “aquele” peso na consciência: um quadradinho, uma bebida, um gelado, bolachas, bombons, uma sobremesa (a mousse, por exemplo)…. Há tantas variedades!

Sabias que, em Portugal, os portugueses comem um quilo e meio de chocolate em média por ano?

Estudos científicos comprovaram que o consumo de chocolate (só aquele com mais de 70% de cacau) tem vários benefícios à nossa saúde:

· aumento da concentração no estudo/ trabalho;

· redução no risco doença cardíaca;

· alívio do stresse;

· proteção da pele da exposição solar.

Mas, cuidado: há evidências científicas que indicam que o chocolate é mais viciante do que drogas como a cocaína.

 Um pouco de história

O chocolate é um alimento derivado da amêndoa fermentada e torrada do cacau. A sua árvore é o cacaueiro, que se dá bem em climas tropicais: Brasil (o maior produtor de chocolate da América Latina), Equador, Costa do Marfim, Gana e S. Tomé e Príncipe, são bons exemplos de países famosos pelas suas produções de chocolate.

Diz-se que a origem do cacau ficava nas florestas da região do rio Amazonas, ou na região do Orinoco, na Venezuela.

Os primeiros a consumir chocolate regularmente, por volta de 1500 a.C., foram os membros da civilização Olmeca, habitantes dos atuais México e Guatemala. Depois, passaram esse gosto de beber chocolate aos vizinhos, Maias e Astecas, sendo considerado até um produto sagrado. Torravam as sementes, acrescentavam-lhes uma base de milho fermentado e misturavam-nas com especiarias, pimenta, por exemplo. Nas cerimónias religiosas, o cacau torrado era servido com especiarias e mel. Para os Maias, o chocolate era uma moeda de troca (comos o euro para nós), por ser “uma dádiva dos deuses” e serviam cacau aos guerreiros para lhes dar força.

Supostamente, quem trouxe o cacau para a Europa foi Cristóvão Colombo, em 1502, numa das suas viagens entre Espanha e a América. Em Espanha, começaram a juntar-lhe açúcar. Parece que foram os espanhóis que criaram a palavra “chocolate”, a partir dos termos maia chocol (quente) e asteca atl (água). A moda passou para França e depois, começou a difundir-se pelo resto do mundo. No início, consideravam-no um alimento especial pelo seu valor nutritivo e energético e só as mulheres, nobres e sacerdotes (em cerimónias religiosas) o consumiam. Por volta de 1700, começam a ser populares as “Casas de Chocolate” em Londres. Depois, chegou a Revolução Industrial, que possibilitou a invenção de máquinas para a produção em massa de produtos à base de cacau, fazendo baixar os preços, o que deu o toque final de popularidade ao nosso querido chocolate. Este vai ganhando novos ingredientes, inspirados nas culturas por onde passa.

Um fabricante holandês conseguiu extrair gordura dos grãos de cacau moídos e assim nasceu a manteiga de cacau. O hábito de comer chocolate em pedaços só se tornaria popular mais tarde, (1850), quando uma firma inglesa, Fry and Sons, começou a produzir chocolate doce em barras para comer (e não apenas chocolate em pó para beber), misturando o cacau moído com manteiga de cacau e açúcar. Na Suíça, finalmente surge a mistura consagrada de chocolate, leite e açúcar, dando origem ao chocolate como é hoje conhecido.

Na Europa, há países que se distinguem pelas marcas de chocolate mais apreciadas e famosas em todo o mundo: a Bélgica, a Suíça e a França são bons exemplos.

 

Informação: Jornal de Notícias






Ingredientes


Base:

  • 6 tâmaras, sem caroço
  • 40g de avelãs
  • 40g de amêndoas com pele
  • 30g de cacau em pó (pode substituir por chocolate em pó)
  • 1 colher (chá) de pasta de baunilha

Creme de chocolate:

  • 50 ml bebida de amêndoa
  • 200 ml leite de coco
  • 50g de cacau em pó (pode substituir por chocolate em pó)
  • 2 colheres (sopa) de açúcar mascavado
  • 1/2 colher (sopa) de amido de milho
  • 1 colher (chá) de pasta de baunilha
  • 2 folhas de gelatina

 

Preparação

Base: 

Colocar todos os ingredientes no robot de cozinha e triturar até obter uma farinha grossa (tipo farofa). Deitar numa forma, calcar bem e levar ao frigorífico enquanto prepara o creme de chocolate.

 

Creme de chocolate: 

Hidratar a gelatina em água fria 7 minutos e após esse tempo escorrer bem a água. Reservar.
Juntar todos os restantes ingredientes numa caçarola e mexer com vara de arames até estar tudo bem dissolvido. Levar ao lume, sem parar de mexer, até ferver e se formar um creme. Adicionar a gelatina e mexer bem até que se dissolva totalmente.
Deitar o creme de chocolate em cima da base e levar, novamente, ao frigorífico, cerca de duas horas, ou até solidificar.


NOTA esta quantidade rendeu 4 doses. Para uma forma de tarte convém dobrar a quantidade de ingredientes. Sugestão: Pode fazer-se só o creme e deitar em copos ou taças.






quarta-feira, 6 de julho de 2022

Bolo do Caco com manteiga de alho



Nada se perde, quando se cria!


Tinha duas batatas doces, com polpa laranja, cujo cor desconhecia até as descascar. Tinham um "grelo" gigante, que já fazia lembrar a história do "João e o pé de feijão"
Não fui levada à galinha dos ovos de ouro, mas viajei até à ilha da Madeira. Esse pedaço de paraíso!

As saudades da ilha apertam, a vontade de ir de férias é enorme e vai-se tentando atenuar com paladares e aromas. Faltaram as lapas (ah, como salivo só de pensar), a poncha, os pregos, as espetadas... e aquela beleza natural. 

Um abraço gigante, desde aqui até à Pérola do Atlântico. ❤️
 

 


 

 

Bolo do Caco

 

Ingredientes:

(para 8 unidades)
  • 360g de batata doce cozida (puré)
  • 500g de farinha de trigo T65
  • 1 colher (chá) de sal
  • 200ml de água morna
  • 10g de fermento padeiro seco


Preparação:

Coza ou asse a batata doce e reduza-a a puré (cozi a vapor e usei a água que largaram, para a massa do pão).
Coloque a farinha na taça da batedeira, abra um buraco no centro, deite nele o fermento, o puré de batata e num cantinho o sal.
Comece a amassar (usando o gancho para massas - ou bata à mão, se preferir) e vá deitando a água, necessária, aos poucos.
Bata entre 8 a 10 minutos (o suficiente para que a massa fique homogénea e elástica).
Coloque a massa numa tigela polvilhada com farinha, cubra com um pano de cozinha e deixe levedar cerca de 1 hora.
Assim que a massa duplicar o seu volume, divida-a em 8 partes, usando farinha para ajudar a trabalhar a massa. Forme bolas, achate-as e deixe descansar durante 30 minutos.
Ao fim deste tempo, aqueça uma frigideira ou chapa, coloque os bolo a cozer cerca de 15 minutos de cada lado, em lume brando.
Sirva-o morno acompanhado com manteiga de alho e salsa.



Manteiga de Alho e Salsa

  • 100g de manteiga
  • 1 dente de alho esmagado
  • 2 colheres (sopa) de salsa picada
  • Sal e pimenta q.b.

 

Esmague o alho, pique a salsa, adicione a manteiga, sal, pimenta e misture bem. Guarde numa taça ou em rolinhos de película aderente, no frigorífico.

 


 

terça-feira, 21 de junho de 2022

Tarte de chocolate negro com frutos secos




Cho.co.la.te.ra.pia! 🤎🍫

 
Come chocolates, pequena;
Come chocolates!
Olha que não há mais metafísica no mundo senão chocolates.
Olha que as religiões todas não ensinam mais que a confeitaria.




 

 


Tarte de chocolate negro com frutos secos

 

Ingredientes:

 

  • 200 g de chocolate (mínimo 70% cacau)
  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • 6 ovos
  • 100 g de açúcar mascavado
  • 50g avelã
  • 50g noz
  • 50g amêndoa com pele
  • 50g amêndoa sem pele


Preparação:

Derreta o chocolate juntamente com a manteiga, no micro-ondas (30 segundos). Retire e mexa bem, até derreter totalmente.
Bata as gemas com o açúcar. Junte o chocolate derretido e mexa.
Incorpore os frutos secos moídos e por último envolva as claras em castelo.
Verta em forma forrada com papel vegetal e leve ao forno pré-aquecido a 180ºC, cerca de 20 minutos.
 

 

NOTA: usei robot para moer os frutos secos, mas pode comprar farinha. No total são 200g, que pode usar de um só tipo de fruto.



segunda-feira, 13 de junho de 2022

Doce de cereja



 

Das cerejas à castanha bem a gente se amanha...

 

Qual a origem das cerejas e onde as podemos encontrar?

A cereja é um fruto bastante nutritivo que faz as delícias dos portugueses de maio a julho. É produzido pela cerejeira, uma árvore asiática. Em Portugal, as cerejas são produzidas maioritariamente na Beira Interior, seguindo-se Trás-os-Montes, Douro e Minho. Os seus pomares situam-se essencialmente a norte do Rio Tejo, com exceção de Portalegre. Dependendo da sua qualidade, as cerejas podem ser amarelas, vermelho-claro, vermelho-escuro ou roxas.

 

Quando e como colher?

As cerejas deverão ser colhidas o mais maduras possível, uma vez que após a sua colheita não amadurecem, não se tornando mais doces, tal como se verifica com outros frutos como a maçã ou a pera.

As que apresentam melhor qualidade são as de maiores dimensões e mais polposas, cuja pele esteja limpa, firme, brilhante, sem manchas e fissuras. Uma cereja que esteja madura é mais pesada que uma verde. Os seus talos deverão encontrar-se verdes e estar bem presos ao fruto.

 

Como conservar?

Deverão ser conservadas em local fresco. Poderão ser acondicionadas no frigorífico, sem lavar nem tapar, onde persistem até cerca de 1 a 2 semanas. Poderá optar por congelá-las, mas, neste caso, antes deverá lavá-las adequadamente e secá-las, podendo permanecer congeladas até 8 meses.

 

Como consumi-las?

  • Poderão ser consumidas cruas. Num lanche, cerca de dez pares de cerejas correspondem a 1 porção de fruta;
  • Em saladas de frutos;
  • Em sumos, batidos ou para aromatizar bebidas;
  • Em compota ou geleia;
  • Pastelaria: tartes, pastéis, empadas, mousses, trufas e sorvetes;
  • Num lanche, adicionadas a iogurte natural ou com queijo quark;
  • Poderá ser servida juntamente com pratos de carne ou em risoto;
  • Sob a forma de licor;
  • E os pés das cerejas podem ser utilizados para infusões.

 

Quais as suas propriedades nutricionais?

  • Baixo valor calórico: 1 porção de cerejas (cerca de 20) têm aproximadamente de 60kcal;
  • Ricas em fibra (1,6g/100g), maioritariamente solúvel (pectina) com efeito benéfico na regularização do trânsito intestinal, na redução da absorção do colesterol e na melhoria do controlo da glicemia;
  • Baixo índice e carga glicémica – significa que o açúcar das cerejas é absorvido no sangue a uma velocidade lenta, sendo uma fruta adequada para diabéticos;
  • Cerca de 80% da porção de fruta ingerida é constituída por água, tendo um efeito diurético;
  • Rica em antioxidantes, com função anti-inflamatória e imunitária: flavonoides (antocianinas), ácido elágico e ácidos fenólicos;
  • Fonte de vitamina A, carotenoides e vitamina C e de minerais como potássio, magnésio e fósforo;
  • Ricas em melatonina - hormona importante na melhoria da qualidade do sono.

 Informação: Lusíadas

 


 

Ingredientes:


  • 1kg de cerejas limpas de caroço
  • 700g de açúcar
  • 1 vagem de baunilha
  • 1/2 limão - sumo
  • 50ml de vinho do Porto Tawny

 

Preparação:



Lavar as cerejas, retirar os pés e descaroçar. Numa panela, colocar camadas, alternadas, de cereja e açúcar. Tapar e deixar repousar até o açúcar derreter e formar um xarope (no mínimo 6h).

Juntar a vagem de baunilha, levar ao lume médio e deixar cozinhar até que as cerejas estejam bem cozidas e a calda tenha engrossado. Adicionar o sumo de limão, o vinho do Porto e deixar ferver em lume brando uns 30 minutos.

Calcar duas ou três vezes, levemente, com o esmagador de batata (só o suficiente para desfazer algumas cerejas).

Verter o doce em frascos de vidro devidamente esterilizados e virar com a tampa para baixo, até arrefecerem completamente.

 

 

NOTA: A quantidade é ajustável. Por cada kg de cereja use no mínimo 2/3 de açúcar. A baunilha, limão e vinho do Porto são opcionais. Pode omitir ou substituir por outros aromas.
Frascos e tampas bem esterilizados são garantia de maior durabilidade do doce.


quarta-feira, 1 de junho de 2022

Bolachas Dia da Criança

 


Dia Mundial da Criança

 
Se por aí há crianças, aposto que elas adoram fazer bolachas! 🍪
 
Estas, que vos trago como sugestão, são personalizadas com o nome de algumas meninas e meninos do meu coração ❤️
 
Os moldes usados são da Belita3D e achei-os bem fáceis de utilizar... para além de super amorosos! 😍
 
A receita foi a minha amiga, querida, Carmen que ma deu e deixou que a partilhe convosco.
 
 

 

Ingredientes:

  • 200 manteiga
  • 200 açúcar
  • 1 ovo
  • 400 farinha T55

 

Preparação:

Bater manteiga com o açúcar. Misturar ovo e depois farinha.
Levar a massa ao frigorífico 30 minutos.
Estender a massa com 3 a 5 mm e cortar a gosto (muito mais fácil se for com os moldes @belita3d).
Levar ao forno pré-aquecido, ventilado, a 180º cerca de 10 minutos ou até estarem douradas.
 
 


 


terça-feira, 31 de maio de 2022

Tosta de pasta de abacate e ovo escalfado

 


Ovo, o ouro!

 
Qual o vosso ingrediente favorito? O meu, sem sombra de dúvida, é o ovo!
Adoro-o de todas as formas e cá em casa nunca pode faltar. 

Atualmente, é a proteína que mais consumo, seguida do peixe e por último a carne (esta passo sem ela semanas seguidas).

Os doces... bem, esses sabem como gosto deles: pecaminosos (mais uma vez, repletos de ovos). Mas tento escapar da tentação
Fujo dos alimentos processados e nem faço grande sacrifício, pois não gosto por aí além desse tipo de comida.
 
Caminho regularmente, e lá meto uns passitos de corrida pelo meio (nas descidas)
 
Não sou fundamentalista de nenhuma dieta da moda, mas como sei que corpo só tenho este, tento zelar por ele o melhor que consigo.
 
 

Ingredientes:

 
 
 
 

segunda-feira, 30 de maio de 2022

Pasta de abacate, grão e coentros

 

 
 
 

Ingredientes:


  • 1 abacate
  • 1 + 1/2 chávena de grão-de-bico cozido
  • 1 chávena (chá) de coentros
  • 1 dente de alho
  • 1 colher de sopa de azeite
  • Sumo de meio limão
  • sal q.b.
  • Pimenta rosa q.b.

Preparação:


Coloque, no processador de alimentos (robot de cozinha, varinha mágica ou outro triturador) os coentros, o alho e triture. Junte os outros ingredientes e volte a triturar até formar uma pasta. 
Deite numa taça, sirva de imediato, ou leve ao frigorífico até servir.

 
Sugestão: use-o em sandes, wraps, saladas ou como molho para vegetais.
 




sábado, 16 de abril de 2022

Folar rústico com doce de ovo


PÁSCOA

 
Um dia de poemas na lembrança
(Também meus)
Que o passado inspirou.
A natureza inteira a florir
No mais prosaico verso.
Foguetes e folares,
Sinos a repicar,
E a carícia lasciva e paternal
Do sol progenitor
Da primavera.
Ah, quem pudera
Ser de novo
Um dos felizes
Desta aleluia!
Sentir no corpo a ressurreição.
O coração,
Milagre do milagre da energia,
A irradiar saúde e alegria
Em cada pulsação.


Miguel Torga, in Diário XVI

 

 

Votos de uma Páscoa muitíssimo feliz!

 


 

Folar rústico com doce de ovos

 

Ingredientes

 
Fermento:
  • 7g de fermento de padeiro seco
  • 100ml de água morna (usei infusão de flor de laranjeira - pétalas)
  • 100g de farinha (T55)

Massa:
  • 250g de farinha (usei T55)
  • 50g de açúcar amarelo
  • 1 pitada de canela em pó
  • 1 pitada de erva-doce em pó
  • 1 colher (chá) de sal fino
  • 50 ml de leite
  • 30g de mel (usei multifloral do Gerês)
  • 40g de manteiga derretida
  • 1 ovo

Doce de ovo:
  • 160g de açúcar
  • 125 ml de água (usei infusão de flor de laranjeira - pétalas)
  • 5 gemas de ovo
 

Preparação

 

Doce de ovos: Leve ao lume um tacho com a água e o açúcar para fazer uma calda transparente.
Deixe-a arrefecer um pouco.
Entretanto junte numa tigela as gemas (que devem ser coadas), acrescente um pouco da calda e mexa até que estejam bem desfeitas.
Deite a mistura dos ovos na calda restante, volte a levar o tacho a lume baixo e mexa, sem parar, até formar um creme grosso.
Deite o creme numa taça de vidro e tape com película (que deve aderir ao creme). Deixe arrefecer.
OBS.: O doce de ovos feito de véspera fica ainda melhor.
 
 
Entretanto faça o folar:

1 - Dilua o fermento na água, de seguida a farinha, tape e deixe levedar uns 20 minutos.

2 - Numa taça coloque os ingredientes secos, misture, abra um buraco no meio e deite o leite, mel, manteiga e ovo. Mexa tudo até envolver.

3 - Adicione o fermento ao preparado anterior e amasse até uniformizar a massa. (Se necessário, junte um pouco de farinha ou leite, para obter uma massa moldável).

4 - coloque a massa numa taça, polvilhada com farinha, tape-a e deixe levedar até dobrar o volume. (Cerca de 2 horas).

5 - deite a massa levedada numa bancada polvilhada com farinha, estique-a, barre com o doce de ovos, dobre as laterais para o centro (no sentido do comprimento) e repita as dobras. (O importante é dobrar de forma a que o recheio fique no interior da massa).

6 - Deixe repousar, num tabuleiro forrado com papel vegetal, enquanto o forno aquece a 180⁰C e depois coza durante 30 minutos.
 
 
NOTA: se não gostar de creme de ovo, pode dispensar e fazer o folar sem ele. Nesse caso, basta formar uma bola (tipo pão), ou dar-lhe a forma que quiser (trança, regueifa, etc.)