terça-feira, 28 de setembro de 2021

Doce de amora silvestre

 


 
"Num dia quente de verão, uma alegre cigarra estava a tocar o seu violão"

Mas esta formiga andou ligeirinha na sua labuta! É que as amoras silvestres vão-se num sopro... e se fizesse como a cigarra agora não haveria doce para ninguém!

 

 
E por falar em doce, deixo aqui algumas dicas acerca da reutilização dos frascos e da preparação dos mesmos para usar nas compotas.

As compotas ou doces podem durar anos, desde que se usem frascos devidamente esterilizados e se cumpra o rácio de, pelo menos, 800g de açúcar para 1 kg de fruta. O açúcar conserva e torna o doce menos perecível. As compotas feitas com menos açúcar devem ser guardadas no frigorífico e consumidas mais rapidamente, pois não vai aguentar muito tempo.
 
Cá em casa guardo todos os frascos de vidro (com tampa metálica - isto é importante) que ficam vazios, para depois os usar quando faço doce. 
Ponho-os de molho para amolecer o rótulo, que depois retiro. Quando têm cola é mais difícil, mas deito no esfregão um pouco de líquido de limpeza e bicarbonato. Sai tudo! Por fim lavo-os na máquina da loiça, juntamente com as tampas.

Antes de usar, esterilizo os frascos e tampas. Há várias formas de o fazer, mas o importante é que sejam submetidos ao calor para eliminar possíveis bactérias (que ao entrar em contacto com o doce o iriam decompor).
Podem ser colocados numa panela com água a ferver, deixando depois secar antes de os utilizar. Outra opção é colocá-los no microondas durante 1 ou 2 minutos, retirando-os depois com cuidado e utilizando-os de seguida. Se a quantidade for maior e não couber no microondas, então o forno é uma boa alternativa. As tampas, o que costumo fazer (por indicação de uma amiga) é limpá-las muito bem com álcool, sobretudo na zona da borracha (vedante). Mas podem ser fervidas!

Depois de fazer a compota e encher os frascos, feche-os ainda quentes e vire-os de "cabeça para baixo" até arrefecerem completamente. Isto vai permitir criar um vácuo natural que ajudará a conservar o doce.

Outra alternativa para criar vácuo e conservar o doce mais tempo é colocar os frascos numa panela, e encher com água quente. Depois é ferver 15 minutos e deixar os frascos arrefecer na água antes de os retirar e limpar.
 
Por fim, convém etiquetar os frascos para saber de que se trata o seu conteúdo e a data em que foi feito. Se fizerem para oferecer (esta é a parte boa), decorem-nos usando a imaginação à vontade.

Por fim, guarde os frascos nem local fresco e seco até à altura de consumir, ou de oferecer :)
 
 
Boas compotas e que o nosso outono seja doce! ❤️

 

 

Ingredientes:

  • 1 Kg de amoras silvestres
  • 700g de açúcar


OBS.: - a cada quilo de amoras junte de 700g a 1 Kg de açúcar. Maior quantidade de açúcar, melhor conservação do doce.

Preparação:

 
Lave as amoras, coloque-as num tacho, cubra com o açúcar e tape.
 
Quando o açúcar se dissolver, e formar uma calda tipo xarope, leve ao lume cerca de duas horas.
Após esse tempo, verta num coador de rede e esprema muito bem (processo simples, mas um pouco moroso), até restarem apenas as sementes no coador.
 
Deite o doce, ainda quente, em frascos esterilizados, tape e vire-os ao contrário até arrefecer.
 
 

1 comentário:

  1. Passei para desejar uma semana feliz!
    Beijinhos,
    Espero por ti em:
    strawberrycandymoreira.blogspot.pt
    http://www.facebook.com/omeurefugioculinario
    https://www.instagram.com/marysolianimoreira

    ResponderEliminar

Gosto de o/a ter por cá! Não vá embora sem deixar o seu comentário ;)