Delícia de chocolate e frutos secos


 

Dia Mundial do Chocolate

Ontem, hoje e amanhã!


No dia 7 de julho assinala-se o Dia Mundial do Chocolate, ou seja, podes comer chocolate sem “aquele” peso na consciência: um quadradinho, uma bebida, um gelado, bolachas, bombons, uma sobremesa (a mousse, por exemplo)…. Há tantas variedades!

Sabias que, em Portugal, os portugueses comem um quilo e meio de chocolate em média por ano?

Estudos científicos comprovaram que o consumo de chocolate (só aquele com mais de 70% de cacau) tem vários benefícios à nossa saúde:

· aumento da concentração no estudo/ trabalho;

· redução no risco doença cardíaca;

· alívio do stresse;

· proteção da pele da exposição solar.

Mas, cuidado: há evidências científicas que indicam que o chocolate é mais viciante do que drogas como a cocaína.

 Um pouco de história

O chocolate é um alimento derivado da amêndoa fermentada e torrada do cacau. A sua árvore é o cacaueiro, que se dá bem em climas tropicais: Brasil (o maior produtor de chocolate da América Latina), Equador, Costa do Marfim, Gana e S. Tomé e Príncipe, são bons exemplos de países famosos pelas suas produções de chocolate.

Diz-se que a origem do cacau ficava nas florestas da região do rio Amazonas, ou na região do Orinoco, na Venezuela.

Os primeiros a consumir chocolate regularmente, por volta de 1500 a.C., foram os membros da civilização Olmeca, habitantes dos atuais México e Guatemala. Depois, passaram esse gosto de beber chocolate aos vizinhos, Maias e Astecas, sendo considerado até um produto sagrado. Torravam as sementes, acrescentavam-lhes uma base de milho fermentado e misturavam-nas com especiarias, pimenta, por exemplo. Nas cerimónias religiosas, o cacau torrado era servido com especiarias e mel. Para os Maias, o chocolate era uma moeda de troca (comos o euro para nós), por ser “uma dádiva dos deuses” e serviam cacau aos guerreiros para lhes dar força.

Supostamente, quem trouxe o cacau para a Europa foi Cristóvão Colombo, em 1502, numa das suas viagens entre Espanha e a América. Em Espanha, começaram a juntar-lhe açúcar. Parece que foram os espanhóis que criaram a palavra “chocolate”, a partir dos termos maia chocol (quente) e asteca atl (água). A moda passou para França e depois, começou a difundir-se pelo resto do mundo. No início, consideravam-no um alimento especial pelo seu valor nutritivo e energético e só as mulheres, nobres e sacerdotes (em cerimónias religiosas) o consumiam. Por volta de 1700, começam a ser populares as “Casas de Chocolate” em Londres. Depois, chegou a Revolução Industrial, que possibilitou a invenção de máquinas para a produção em massa de produtos à base de cacau, fazendo baixar os preços, o que deu o toque final de popularidade ao nosso querido chocolate. Este vai ganhando novos ingredientes, inspirados nas culturas por onde passa.

Um fabricante holandês conseguiu extrair gordura dos grãos de cacau moídos e assim nasceu a manteiga de cacau. O hábito de comer chocolate em pedaços só se tornaria popular mais tarde, (1850), quando uma firma inglesa, Fry and Sons, começou a produzir chocolate doce em barras para comer (e não apenas chocolate em pó para beber), misturando o cacau moído com manteiga de cacau e açúcar. Na Suíça, finalmente surge a mistura consagrada de chocolate, leite e açúcar, dando origem ao chocolate como é hoje conhecido.

Na Europa, há países que se distinguem pelas marcas de chocolate mais apreciadas e famosas em todo o mundo: a Bélgica, a Suíça e a França são bons exemplos.

 

Informação: Jornal de Notícias






Ingredientes


Base:

  • 6 tâmaras, sem caroço
  • 40g de avelãs
  • 40g de amêndoas com pele
  • 30g de cacau em pó (pode substituir por chocolate em pó)
  • 1 colher (chá) de pasta de baunilha

Creme de chocolate:

  • 50 ml bebida de amêndoa
  • 200 ml leite de coco
  • 50g de cacau em pó (pode substituir por chocolate em pó)
  • 2 colheres (sopa) de açúcar mascavado
  • 1/2 colher (sopa) de amido de milho
  • 1 colher (chá) de pasta de baunilha
  • 2 folhas de gelatina

 

Preparação

Base: 

Colocar todos os ingredientes no robot de cozinha e triturar até obter uma farinha grossa (tipo farofa). Deitar numa forma, calcar bem e levar ao frigorífico enquanto prepara o creme de chocolate.

 

Creme de chocolate: 

Hidratar a gelatina em água fria 7 minutos e após esse tempo escorrer bem a água. Reservar.
Juntar todos os restantes ingredientes numa caçarola e mexer com vara de arames até estar tudo bem dissolvido. Levar ao lume, sem parar de mexer, até ferver e se formar um creme. Adicionar a gelatina e mexer bem até que se dissolva totalmente.
Deitar o creme de chocolate em cima da base e levar, novamente, ao frigorífico, cerca de duas horas, ou até solidificar.


NOTA esta quantidade rendeu 4 doses. Para uma forma de tarte convém dobrar a quantidade de ingredientes. Sugestão: Pode fazer-se só o creme e deitar em copos ou taças.






Comentários