sábado, 5 de dezembro de 2015

Pão de Ló de Ovar




Ovar, um pão de ló bom... mesmo bom... mesmo, mesmo bom



O pão de ló de Ovar é um doce de excelência, com mais de 200 anos. Vulgarmente considerado um doce conventual, persistem algumas dúvidas, pois nunca existiu nesta cidade qualquer convento. Diz a lenda que foi uma freira vareira (nascida entre o Porto e Aveiro) quem idealizou e trouxe a receita para junto de familiares em Ovar. Na zona confeccionava-se outra delicatessen chamada sardinha escochada, sem tripas, espalmada e salgada durante meses. O peixe era vendido de terra em terra, acondicionado numa caixa de madeira, principalmente em Lisboa, por alturas da Páscoa e do Natal. Os distribuidores desta iguaria ofereciam aos seus clientes um belo pão de ló, tendo sido por este meio que o doce se espalhou pela nação.
Hoje em dia, este é um bolo que se exporta para o exterior, principalmente através dos imigrantes portugueses - embaixadores da nossa gastronomia por esse mundo fora.
Está prestes a ser certificado IGP na Europa comunitária, embora já tenha sido certificado pela lei portuguesa.

Carvalheiro, Nelson (2015), Viagens pelas Receitas de Portugal. p. 75






Pão de Ló de Ovar

Ingredientes: 11 gemas, 3 ovos inteiros, 1 pitada de sal fino, 200 g de açúcar, 100 g de farinha de trigo sem fermento, papel para forrar a forma

Pré-aquecer o forno a 185ºC. Numa taça juntar os ovos e as gemas. Começar a bater com a batedeira e juntar o açúcar e o sal lentamente durante mais ou menos 15 minutos.

Adicionar lentamente a farinha, mexendo à mão, de forma a envolver lentamente a farinha nos ovos batidos. Forrar a forma com manteiga, papel e novamente manteiga [não usei manteiga]. Colocar a massa e deixar cozer por 45 minutos. Retirar no fim e deixar arrefecer durante 15 minutos dentro da forma de barro [ter atenção ao tempo, para não se perder o interior mais cremoso - o designado "pito"].
A massa sai do forno numa forma semiliquida e acaba de cozer dentro do próprio barro. Atenção que funciona com formas de diferentes materiais.


Nota: As sugestões/alterações efectuadas, por mim, estão entre parêntesis [].


Carvalheiro, Nelson (2015), Viagens pelas Receitas de Portugal. p. 76




Segundo o Diário da República, o pão-de-ló de Ovar é "um produto de pastelaria confeccionado à base de ovos - sobretudo gemas, açúcar e farinha" - e apresenta -se dentro de uma forma revestida a papel branco. Exibe "o formato de uma 'broa' de massa leve, cremosa, fofa e de cor amarela", com uma côdea "fina, acastanhada e levemente húmida" e um interior mais cremoso - designado "pito".

Não podia fazer esta publicação sem deixar de agradecer ao meu amigo José Regalado, orgulhoso Ovarense, pelos seus ensinamentos, pela generosa oferta da forma de barro e papel almaço. Muito obrigada!


Obs.: Após ser questionada acerca do tempo de cozedura, percebi que este assunto pode suscitar dúvidas a mais alguém. Os 45 minutos referidos na receita é o tempo que vem no livro e o que realmente esteve no forno. Convém salientar que a forma é de barro e por isso necessita de mais tempo do que uma de material metálico. Devem adequar o tempo de cozedura à forma usada e ao vosso forno.

 O livro que contém esta e muitas outras fantásticas receitas, bem portuguesas! Podem encontrá-lo à venda na Fnac e Bertrand.

15 comentários:

  1. boa noite,
    gosto muito de pão de ló de Ovar.
    45minutos a uma temperatura de 185º não será demasiado para este tipo de bolo?
    Não se terá engando?
    Obrigada e bom fim de semana
    Lena

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Lena,

      Não, não me enganei :-)
      É o tempo que vem no livro e foi o tempo que esteve no forno. Convém relembrar que a forma é de barro.
      Se usar uma forma metálica, deve adequar o tempo.
      Obrigada por perguntar. Vou criar uma nota a fazer referência a este assunto, pois poderá suscitar a mesma dúvida a outras pessoas.

      Bom fim de semana

      Excluir
  2. gosto tanto!!! que rica sobremesa!
    Beijinhos!
    Passa no meu blogu e vê o meu segundo wedding diary:
    http://sudelicia.blogspot.pt/2015/12/wedding-diary-2-igreja.html

    ResponderExcluir
  3. muito obrigada pelo seu esclarecimento.
    Nada coo perguntar de uma forma pedagógica.
    Bjs
    Lena

    ResponderExcluir
  4. Nunca fiz o pão-de-ló de Ovar, apenas o tradicional,...mas fiquei tentada, depois de ver este teu,...ficou lindo e aposto que delicioso também!
    Beijinhos,
    Espero por ti em:
    http://strawberrycandymoreira.blogspot.pt/
    www.facebook.com/omeurefugioculinario

    ResponderExcluir
  5. Muito bom aspeto esse pão-de-ló. Costumo cozer o meu em forma de alumínio, durante 30 a 35 minutos e fica perfeito: http://conversascomtachos.blogspot.pt/2015/04/pao-de-lo-laia-de-ovar.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Sílvia.
      Pelo comentário e por porque assim já fico com melhor noção acerca do tempo que leva em forma de alumínio.

      Excluir
  6. Faço muitas vezes, ainda esta semana fiz um. É tão bom! Esse está bonito e apetitoso, na forma de barro deve ficar especial ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai... pois é tão bom!
      Eu perco-me! :)
      Sim, a forma de barro faz bastante diferença.

      Excluir
  7. Parabéns! Deve ter ficado delicioso!... Eu comprei a forma de barro para fazer este pão de ló, mas não comprei o papel almaço. Será que posso usar papel manteiga ou vegetal? Obrigada e BOM ANO NOVO ;)

    ResponderExcluir

Gosto de o/a ter por cá! Não vá embora sem deixar o seu comentário ;)