domingo, 10 de março de 2019

Lampreia à bordalesa




Lampreia



A lampreia deve sempre comprar-se viva.
Escalda-se a lampreia e esfrega-se bem com um pano de estopa, para que lhe saia bem toda a viscosidade.
Dá-se-lhe um golpe a uns 15 cm da cabeça e outro golpe à mesma distância da cauda.
Aproveita-se todo o sangue, deixando-o escorrer para a vasilha em que se deixa ficar a lampreia em vinha-d'alhos, e junta-se-lhe 1 colher (das de sopa) de vinagre, mexendo um pouco para não coagular.
Pela abertura feita junto à cauda desprende-se a tripa da lampreia, aperta-se bem com um fio, faz-se o mesmo na outra abertura e puxa-se cuidadosamente pela abertura inferior, arrancando ao mesmo tempo o osso que tem na cabeça. Esta operação é muito delicada e requer muita perícia.
As ovas conservam-se dentro da lampreia.
Se se quiser aproveitar a cabeça, raspa-se com força com uma faca até saírem todos os dentes.




Lampreia à bordalesa



  • 1 lampreia bem grande
  • 3 cebolas grandes, bem picadas
  • 3 dentes de alho, picadinhos
  • 2 decilitros e meio de azeite
  • 5 decilitros de vinho tinto maduro, que seja bom
  • 2 colheres (das de sopa) bem cheias de salsa picada
  • 2 colheres (das de sopa) de vinagre
  • Sal e pimenta ao paladar
  • 8 pães cortados em fatias, torradas no forno


Depois da lampreia devidamente preparada, corta-se em postas da largura de mais ou menos 5 cm.

Põe-se a lampreia e o sangue, numa vasilha de louça, juntamente com a salsa, o alho, o vinagre, o vinho tinto, sal e pimenta ao paladar e deixa-se a tomar gosto durante 5 horas pelo menos.

Faz-se um bom refogado com o azeite e a cebola.
Quando esta ficar loira deitam-se-lhe os bocados de lampreia e deixa-se refogar lentamente, acrescentando-se-lhe pouco a pouco água suficiente para formar um molho abundante.
Pouco antes de ir para a mesa, adicionam-se à lampreia (depois de coados) os temperos em que esta esteve anteriormente.
Volta ao lume a levantar fervura e retira-se logo para evitar que destalhe.
Deita-se o pão em camadas no fundo de uma terrina ou travessa funda.
Despeja-se sobre o pão a lampreia com o respectivo molho, e serve-se bem quente.

in, Tesouro das Cozinheiras - pág. 307

NOTA: Comprei a lampreia ao pescador, que a limpou, preparou e colocou em vinha d'alhos tal como indica a receita. 






Lampreia do Rio Minho


Até 15 de abril, é época da degustação da Lampreia do Rio Minho, uma iguaria regional para saborear nos restaurantes aderentes à iniciativa “Lampreia do Rio Minho – Um Prato de Excelência”, promovida pela ADRIMINHO e pelos seis municípios do Vale do Minho – Caminha, Melgaço, Monção, Paredes de Coura, Valença e Vila Nova de Cerveira. .
Aproveite esta oportunidade singular para saborear um dos pratos mais genuínos da gastronomia tradicional melgacense, bem como para (re)descobrir os encantos do concelho, numa época repleta de animação cultural e recreativa – atividades de turismo natureza ou aventura, visita aos espaços museológicos da rede Melgaço Museus, visitas e provas nas adegas aderentes Rota do Vinho Alvarinho, e muito mais.
A iniciativa “Lampreia do Rio Minho – Um Prato de Excelência” realiza-se desde 2010, com o intuito de valorizar e afirmar um dos pratos mais emblemáticos da gastronomia tradicional da Região.


Programa disponível aqui!
 
 
Recomendação de locais onde podem comer, dormir e visitar nesta publicação anterior.

2 comentários:

  1. Lampreia é algo que não sou fã!
    Beijinhos,
    Espero por ti em:
    strawberrycandymoreira.blogspot.pt
    http://www.facebook.com/omeurefugioculinario
    https://www.instagram.com/marysolianimoreira/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mary, a lampreia divide muitas opiniões é um facto.
      Tentarei que o próximo post seja mais ao agrado de todos ;)

      Beijinhos e boa semana

      Excluir

Gosto de o/a ter por cá! Não vá embora sem deixar o seu comentário ;)